segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Simples de Coração...




"... Já perdemos muito tempo brincando de perfeição
  esquecemos o que somos: simples de coração...
... já brincamos muito tempo (até perder a direção)
Na santa paz de Deus
No mais perfeito caos."

(Humberto Gessinger)



Simples de Coração é o nome de uma música e título de um álbum da banda de rock brasileira Engenheiros do Hawaii, lançado no ano de 1995.

Foi o primeiro e único álbum de estúdio com a banda em sua formação/quinteto: Humberto Gessinger (voz, baixo e compositor de quase todas as letras/músicas do disco), Carlos Maltz (bateria), Ricardo Horn (guitarra), Fernando Deluqui (ex-RPM - guitarra) e Paolo Casarin (teclados). Seus principais sucessos foram as canções: Hora do Mergulho e A Promessa. Em 1996, os três novos integrantes e o fundador Carlos Maltz sairiam da banda.

Foi o primeiro disco gravado fora do Brasil (em Los Angeles, com produção de Greg Ladany). Devido o álbum ter sido gravado fora do país, houve participações estrangeiras como a do percussionista cubano: Luis Conte (que já trabalhou com Roger Waters e Phil Collins), que assina a percussão de "A Promessa".

Simples de Coração também foi o último álbum lançado em fita cassete. Este disco também foi gravado em inglês, porém esta versão foi arquivada pela BMG e nunca foi lançada no mercado.


Fontes:

http://www2.uol.com.br/engenheirosdohawaii/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Engenheiros_do_Hawaii
http://pt.wikipedia.org/wiki/Simples_de_Cora%C3%A7%C3%A3o

domingo, 30 de outubro de 2011

Je Crois Entendre Encore...


video

Hoje acordei com essa música na cabeça.
Acho essa versão com Gilmour muito linda!
Então, resolvi compartilhar...

Abraços!

Silvia Elena


Je Crois Entendre Encore
(composição: Georges Bizet)
From David Gilmour's Concert (2002)

Tradução:
Eu espero entender ainda
Oculta sob as palmeiras
A sua voz terna e sonora
Como um canto de pombo-torcaz
Oh! noite fascinante
Divino êxtase
Oh! recordação admirável
Louca embriaguez, doce sonho!

No brilho das estrelas
Espero ainda vê-la
Descobrir um pouco seus longos véus
Aos ventos tépidos/mornos da noite.
Oh! noite fascinante
Divino êxtase
Oh! recordação admirável
Louca embriaguez, doce sonho!

Admirável Recordação!
Admirável Recordação!

Poesia...



 "Se eu gosto de poesia? 
Gosto de gente, bichos, plantas, lugares, chocolate, 
vinho, papos amenos, amizade, amor. 
Acho que a poesia está contida nisso tudo."

(Carlos Drummond de Andrade)




Carlos Drummond de Andrade (Itabira, 31/10/1902 — Rio de Janeiro, 17/08/1987) foi um poeta, contista e cronista brasileiro.

Nascido e criado na cidade mineira de Itabira, Carlos Drummond de Andrade levaria por toda a sua vida, como um de seus mais recorrentes temas, a saudade da infância. Precisou deixar para trás sua cidade natal ao partir para estudar em Friburgo e Belo Horizonte.

Formou-se em Farmácia, atendendo a insistência da família em graduar-se. Trabalha em Belo Horizonte como redator em jornais locais até mudar-se para o Rio de Janeiro, em 1934, para atuar como chefe de gabinete de Gustavo Capanema, então nomeado novo Ministro da Educação e Saúde Pública.


Fonte:
http://www.carlosdrummonddeandrade.com.br/index.php

sábado, 29 de outubro de 2011

Minha alma...



"... Minha alma tem o peso da luz.
Tem o peso da música. 
Tem o peso da palavra nunca dita, 
prestes quem sabe a ser dita. 
Tem o peso de uma lembrança. 
Tem o peso de uma saudade. 
Tem o peso de um olhar. 
Pesa como pesa uma ausência. 
E a lágrima que não se chorou. 
Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros...".

(Clarice Lispector)



Clarice Lispector, nascida Haia Lispector (Chechelnyk, 10/12/1920 — Rio de Janeiro, 09/12/1977), foi uma escritora brasileira, nascida na Ucrânia. Chegou no Brasil quando tinha dois meses de idade. Faleceu um dia antes de seu 57° aniversário vitimada por uma súbita obstrução intestinal, de origem desconhecida que, depois, veio-se a saber, ter sido motivada por um adenocarcinoma de ovário irreversível.

Embora tenha se formado em Direito, Clarice Lispector nunca advogou, sobrevivendo basicamente do jornalismo e, acessoriamente, dos trabalhos de tradução. Em 1940, quando ainda cursava a faculdade, ela ingressou no Departamento de Imprensa e Propaganda para exercer, em princípio, a função de tradutora, mas findou sendo redatora da Agência Nacional. Sua primeira reportagem, “Onde se ensinará a ser feliz”, foi publicada em 19 de janeiro de 1941, no Diário do Povo, de Campinas (SP), relatando a visita da primeira-dama da República, Darcy Vargas, a um orfanato feminino. No ano seguinte, ela começou a trabalhar como redatora de A Noite e obteve seu registro profissional como jornalista, profissão que exerceria até dois meses antes de falecer, com o hiato forçado pelo período em que viveu no exterior como esposa do diplomata Maury Gurgel Valente.


Fontes:

Aprendendo a viver - Clarice Lispector, Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2004.
http://www.claricelispector.com.br/ 

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Oração à grande Mãe...



Mãe Nossa, que estais no céu, 
na terra e em toda a parte,
Bendita seja a Tua beleza e a Tua abundância.
Traz aos nossos corações a chave 
que abre o portal do amor,
Que cada um de nós possa respeitar 
os caminhos de todos os seres.
E o exercício do perdão faça parte de nossa existência.
Que possamos acolher em nossa mesa aqueles 
que querem partilhar conosco,
o alimento sagrado.

Mãe Nossa, que estais no céu, 
na terra e em toda a parte,
que o Propósito maior guie os nossos passos.
E que a batida dos nossos corações possa se unir 
ao toque do coração da terra,
e assim possamos pulsar em um só ritmo.
Que as estrelas nos guiem nas noites escuras
e que o sol brilhe intensamente 
em nossos corpos.

Que assim seja, Grande Espírito!
Que assim seja, Grande Mãe!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Hospedaria "Jorge e o Dragão"...



Um mendigo bateu à porta de uma hospedaria chamada "Jorge e o Dragão".

– A senhora podia me dar alguma coisa para comer? – ele perguntou à mulher que atendeu à porta.
– Não! – ela gritou, batendo a porta.

Alguns segundos depois, o mendigo bateu novamente.
A mesma mulher atendeu à porta.
– Posso comer alguma coisa? – perguntou o mendigo.
– Dê o fora, imprestável! – gritou a mulher – e não volte nunca mais!

Depois de alguns minutos o mendigo bateu à porta novamente. A mulher veio até a porta.
– Perdoe-me – disse o mendigo – mas será que eu poderia dar uma palavrinha com o Jorge desta vez?

A vida é a hospedaria chamada "Jorge e o Dragão". Você pode pedir para dar umas palavrinhas com o Jorge, também.

(Osho, in "The Secret")


Fonte:
http://www.palavrasdeosho.com/2010/09/jorge-e-o-dragao.htmlhttp://www.palavrasdeosho.com/2010/09/jorge-e-o-dragao.html

domingo, 16 de outubro de 2011

O Triunfo e o Reverso...




Deus lança em várias direções benefícios fecundos e infinitos, espargindo “em toda a parte o perfume do conhecimento”. Ele como as flores, não solicita a admiração alheia, não faz distinção de pessoas; traz em sua essência o aroma, distribui sua "fragrância de sabedoria" ao vento que passa e atravessa os extensos campos e planícies perfumando a tudo e todos.

O ser desperto usa o silêncio e a observação para distinguir a sombra e a luz, identifica-se com a Força Excelsa* Universal, para discernir verdadeiramente o que é a derrota e o que é triunfo.

A Divindade utiliza a tristeza, para que possamos alcançar a alegria de viver.


* Excelsa: fem. sing. de excelso - adj.
                1. Muito alto, eminente.
                2. Sublime.
                3. Ilustre, magnificente.

Fontes:

Extraído do livro: Um modo de entender - Uma nova forma de viver por Francisco do Espírito Santo Neto, ditado por Hammed, Catanduva (SP), 2004.
Dicionário on-line Priberam da Língua Portuguesa:  http://www.priberam.pt/
 


sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Ah! como seria mais fácil...



"Quem é que não gostaria de que na maioria das vezes fosse assim...

Quando eu disser: eu tenho medo de cair, 
alguém dissesse: não se preocupe estou contigo,
está tudo bem e eu tenho asas."
Ah! como seria tudo mais fácil...

Silvia Elena

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

A busca da felicidade...



A felicidade não é material...
É apenas um estado de espírito.

Busquemos então, a felicidade nas coisas simples 
e que motivam nossas vidas...

Super abraço!

Silvia Elena

domingo, 9 de outubro de 2011

Preferências, aprendizados e crenças...


 
"Eu prefiro as pessoas que conseguem ver 
o lado claro das coisas mesmo que todo dia anoiteça.
Gente que se abala com os fatos sim, 
mas que não quer derrubar a estrutura do outro 
só pra vê-lo no mesmo nível em que estão.
Com o tempo a gente aprende que todos têm o ônus e o bônus, 
mas poucos conseguem carregar dores e doçuras 
sem despejar em ninguém suas amarguras.
Eu ainda acredito mais em sonhadores incuráveis 
do que em caçadores de mágoas."

(Desconheço o autor)

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Ressurgir...



"O caminho da ressurreição é o galopar de uma longa estrada. 
O ressurgir é o nascimento de uma nova consciência."

(Desconheço o autor)

domingo, 2 de outubro de 2011

Inquietude X Obsolescência...


 
"A principal questão inquietante de hoje:
estar vivo num mundo que decreta
nossa falência cotidianamente 
através da obsolescência de tudo".

(Nélida Piñon*)


*Nélida Cuiñas Piñon (Rio de Janeiro, 3 de maio de 1937), é uma escritora brasileira e imortal da Academia Brasileira de Letras, que já presidiu.

Filha de Lino Piñon Muiños e Olivia Carmen Cuiñas Piñon, espanhóis de origem galega. Seu nome é um anagrama do nome do avô, Daniel.

Formou-se em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e foi editora e membro do conselho editorial de várias revistas no Brasil e exterior. Também ocupou cargos no conselho consultivo de diversas entidades culturais em sua cidade natal.

Estreou na literatura com o romance Guia-mapa de Gabriel Arcanjo, publicado em 1961, que tem como temas: o pecado, o perdão e a relação dos mortais com Deus.

Nélida Piñon é, também, acadêmica correspondente da Academia das Ciências de Lisboa.

Sua obra já foi traduzida em inúmeros países, tendo recebido vários prêmios ao longo de mais de 35 anos de atividade literária. O mais recente, foi o Prêmio Príncipe de Asturias das Letras de 2005.


Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/N%C3%A9lida_Pi%C3%B1on